noticias01 - Convenção Batista Nacional-RN

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Billy Graham alerta namorados que moram juntos sem se casar: "Isso traz infelicidade"



Billy Graham afirmou um casal de namorados até pensa que "encontrou a felicidade" quando começa a viver debaixo do mesmo teto, mas na verdade este é um relacionamento instável.

Casais não casados ​​que vivem juntos estão investindo em relacionamentos que não têm estabilidade e comprometimento, e podem se dissolver a qualquer momento, diz o evangelista mundialmente conhecido, Billy Graham. E viver no momento, evitando a vontade de Deus só levará à infelicidade.
Esta foi a resposta de Graham a uma pergunta feita por um leitor que parecia concordar com a opinião do pastor, mas estava preocupado com o que deveria dizer ao sobrinho que está morando com sua namorada e "não está interessado em Deus".
O conselho de Graham, publicado em sua coluna do jornal 'The Kansas City Star', é que um relacionamento como esse pode ser desfeito a qualquer momento. O evangelista também confessou ao leitor que a atitude de seu sobrinho o lembrou a das pessoas nos dias de Isaías que disseram a Deus: "Se afaste; não se aproxime de mim" (Isaías 65:5).
"Em primeiro lugar, lembre-o de que, apesar de achar que encontrou a felicidade, corre o risco de viver uma grande infelicidade no futuro. Sempre vai uma coisa importante: a estabilidade. Isso poderá se revelar a qualquer momento. O que acontece se um deles ficar entediado, chateado ou encontrar alguém mais atraente?", destacou Graham, sugerindo um reflexão.
O indivíduo explicou que seu sobrinho disse que não se importa com o fato de que viver com sua namorada sem estar casado com ela é algo moralmente errado, e disse que "ninguém mais acredita nisso". O leitor disse que seu sobrinho também alegou não acreditar em Deus e só está preocupado com o presente e com o que o pode fazê-lo feliz agora.
Graham insistiu que o leitor a tente convencer seu sobrinho a pensar além do curto prazo, compreendendo que ele precisa de Cristo. 
"É por isso que espero que você também o exorte a encarar o futuro e a sua necessidade de orientação e sabedoria de Deus", disse o pastor. "Uma vida focada apenas em si mesmo é vazia e insegura, mas Deus nos ama e Ele sabe o que é melhor para nós. Jesus disse: 'Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância' (João 10: 10)".
Ele então pede à pessoa para orar para que o leitor e sua família possam ser um exemplo do amor de Cristo para o sobrinho, e que ele reconheça sua necessidade de Cristo e uma nova vida.
Médico é demitido por considerar homossexualidade pecado, mas ganha causa na Justiça
Eric Walsh é cristão e foi demitido em 2014 do Departamento de Saúde Pública do Estado da Geórgia por acreditar que a homossexualidade é pecado, mas agora será indenizado.



Dr. Eric Walsh, um especialista em saúde pública cristã e palestrante cristão que perdeu um emprego no Departamento de Saúde Pública da Geórgia em 2014 porque acredita que a homossexualidade é um pecado e o evolucionismo é uma "religião criada por Satanás", chegou ao fim de um processo judicial contra o Estado na última quinta-feira (9), no qual pedia uma indenização de quase 250 mil dólares.
O 'Primeiro Instituto da Liberdade', que representou Walsh no caso contra o Estado de Geórgia, disse em um comunicado que o Estado concordou em pagar 225.000 dólares para resolver o processo de discriminação religiosa que envolvia Walsh e o médico aceitou.
"Estou grato por este julgamento ter finalmente terminado", disse Walsh no comunicado. "Tem sido uma jornada longa e difícil, mas vale a pena ter meu nome limpo e garantir que todos os funcionários do governo da Geórgia saibam que desfrutam da liberdade religiosa".
De acordo com o Instituto, a fé de Walsh se tornou um "problema" em seu emprego no início de 2014, enquanto ele trabalhava como diretor de saúde pública da cidade de Pasadena, na Califórnia.
Walsh, um experiente especialista em saúde pública, foi convidado a ser um dos palestrantes na Faculdade de Pasadena, para ministrar seminários durante todo o ano de 2014. Alguns estudantes, no entanto, teriam protestado contra a escolha da Faculdade e expuseram vídeos de seus sermões on-line para reclamar com a instituição sobre as opiniões religiosas do médico. A controvérsia forçou Walsh a retirar-se de uma cerimônia oficial de abertura e ele foi afastado de seu trabalho.
De acordo com o jornal 'Pasadena Star-News', Walsh renunciou no final de maio, "após comentários controversos que ele fez em sermões ministrados em Igrejas Adventistas do Sétimo Dia, os quais estavam disponíveis online. Os sermões condenavam a homossexualidade, islamismo, catolicismo, a cultura popular, a Teoria de Darwin sobre a Evolução e outros grupos e ideias".
Walsh, no entanto, chamou o episódio de sua demissão de uma caça às bruxas.
"Quando eles acessaram a internet para encontrar coisas que prejudicavam minha reputação ou para fazer com que a escola talvez não me escolhesse, o que eles encontraram não era algo escandaloso, não havia desfalque, não havia nada disso, era apenas um monte de sermões", disse ele. "Eles tomaram pequenos fragmentos e, é claro, os tiraram de contexto e os enquadraram em um novo contexto. Eles realmente foram capazes de me enquadrar como uma pessoa terrível. Eu fui chamado nos jornais de intolerante, homofóbico e todos os tipos de nomes que não são verdade".

Cristão que recusou negar Jesus morre após ser forçado a passar noite em lagoa fria



Bartu Urawn, de 50 anos, foi obrigado a permanecer por 17 horas num lago frio, junto com sua esposa. Após sua saída, ele sofreu dois ataques de paralisia devido a danos nos nervos e morreu.

Um homem cristão na Índia morreu depois que ele e sua esposa foram forçados a passar a noite em um lago frio por se recusar a negar a Cristo. Bartu Urawn, de 50 anos, do estado de Jharkhand, sobreviveu à noite, mas ele morreu logo após ter saído da lagoa.
Outros aldeões em Kubuaa, distrito de Palamu, estavam chateados porque ele e sua esposa haviam deixado a fé indígena. Eles foram obrigados a para passar 17 horas durante a noite na lagoa com as mãos amarradas, como punição. Foi o que disse o filho do casal, Beneswar Urawn ao Morning Star News.
Depois que Bartu emergiu, ele ficou doente e sofreu dois ataques de paralisia devido a danos nos nervos. Beneswar Urawn disse: "Durante toda a noite, eles estavam tremendo na água fria e eu, juntamente com uns 20 moradores fomos testemunhas da brutalidade”, contou.
“Os aldeões continuaram perguntando a meu pai se ele estava pronto para abandonar Cristo e voltar para a ‘dobra de Sarna’. Ele reiterou todas as vezes: ‘Não negarei a Cristo. Continuarei a acreditar até o último suspiro’", disse. Sarna significa "Religião do Bosque Sagrado" e envolve sacrifício de animais.
Atrocidade
Beneswar Urawn disse que seu pai foi forçado a comer parte da carne sacrificada e beber uma substância fermentada antes de seu castigo. O filho também foi atacado e disse que sua água potável foi poluída. A família é convertida ao cristianismo há 10 anos.
Os sobreviventes fugiram para outra aldeia, depois do ataque. Mas agora voltaram para suas casas. Nove outras famílias também se converteram há 10 anos, mas sete famílias voltaram à sua fé original por causa da pressão de outros aldeões. A Índia ocupa o 15º lugar na lista de países em que os cristãos são mais perseguidos.
Igrejas não precisarão de alvará de funcionamento para templos, em Fortaleza



O vereador Márcio Cruz (PSD) é o autor da proposta que "dispensa a exigência de alvará ou de qualquer outro tipo de licenciamento para o funcionamento de templo religioso".
A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou nesta terça-feira (7), em segunda discussão, a dispensa de alvará para o funcionamento de templos religiosos na capital. Proposta pelo vereador Márcio Cruz (PSD), em 2016, a Emenda à Lei Orgânica foi aprovada em primeira discussão em maio do mesmo ano. Segundo o Jornal O POVO, a matéria não precisa de sanção do prefeito Roberto Cláudio (PDT). A nova instrução deverá entrar em atividade logo depois da publicação no Diário Oficial.
Foram 32 votos favoráveis à matéria e dois contra. Nove parlamentares faltaram à votação no plenário. Um dos que foram contra à Emenda foi o petista Guilherme Sampaio que se opôs a nova instrução.
Segundo o texto oficial, fica “dispensada a exigência de alvará ou de qualquer outro tipo de licenciamento para o funcionamento de templo religioso e proibida limitação de caráter geográfico à sua instalação”.
"Papel relevante"
Para o autor da proposta, Márcio Cruz, o alvará de funcionamento é “uma mera burocracia”. Ele acredita que ela poderia ser dispensada a igrejas pelo reconhecimento do “papel relevante dessas entidades”. O parlamentar ressalta que o alvará de funcionamento não influencia na segurança dos fiéis.
“Os alvará de construção e do Corpo de Bombeiros vão continuar sendo exigidos, e são eles que veem se o prédio está em boas condições, se está bom”, afirma Márcio. “O alvará de funcionamento só serve para se instalar”, colocou.
De acordo com a definição no site da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), entidade responsável pelos alvarás de funcionamento, é “o documento que autoriza o início do funcionamento de atividades não residenciais, só sendo possível desempenhá-las após a sua emissão”. Mas, agora com a aprovação da Emenda, os templos religiosos não irão mais precisar desta autorização.
 
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal